Página inicial SetaNotícias SetaGovernador Marconi Perillo pede união pela Educação

Governador Marconi Perillo pede união pela Educação


06/02/2012

ESFORÇO CONJUNTO

Governador Marconi Perillo pede união pela Educação

Chefe do Executivo reforça necessidade de mais investimentos por parte do governo federal

O governador Marconi Perillo pediu, nesta segunda-feira, a união de esforços entre Estado, Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintego), professores e população em geral em prol da educação. O apelo foi feito durante anúncio dos novos contemplados do Programa Bolsa Universitária, no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia.

Na presença de mais de cinco mil universitários, Marconi afirmou que os governos estaduais é que financiam, praticamente sozinhos, os ensinos fundamental e médio no País. De acordo com ele, é preciso que todos se unam para buscar ajuda do Governo Federal. “O governo estadual deverá desembolsar, este ano, quase R$ 5 bilhões para a educação. Só para o Fundeb, o Governo de Goiás repassou, em 2011, R$ 506 milhões. Foi para o Ministério da Educação o dinheiro do nosso ICMS e esse dinheiro voltou para os municípios como se fosse do governo federal, mas foi dinheiro daqui. Nós temos que nos mobilizar para que a gente tenha dinheiro federal também para bancar a educação.”

Marconi afirmou que o Governo do Estado está fazendo o possível, mas precisa de recursos para conseguir ir além. Ele disse que sugeriu ao secretário da Educação, Thiago Peixoto, que solicite ao Sintego a união de esforços para a conquista de mais recursos junto à União. “Nós temos feito o que é possível para garantir o pagamento de um Piso Salarial maior que o nacional, mas precisamos de mais verbas. Os Estados não podem carregar sozinhos esta tarefa, até porque a União arrecada hoje 72% dos impostos e contribuições do Brasil. Então é preciso que seja feito justiça. Que se unam a nós para que a gente cobre novas fontes de financiamento.”

O governador afirmou ainda que, este ano, o governo tem investido mais de R$ 330 milhões só na folha de pagamento. “Nós não temos mais recursos para pagar além do que já estamos fazendo com toda a boa vontade. Se há uma área que precisa e merece a atenção do Estado brasileiro, é a educação. Agora é preciso que todos os entes federativos colaborem e que isso não fique apenas na responsabilidade financeira dos governos estaduais.”

 

Acesso Rápido