Página inicial SetaNotícias SetaComeçam as aulas nas escolas públicas estaduais

Começam as aulas nas escolas públicas estaduais


Mais Fotos

INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS INÍCIO DAS AULAS


19/01/2007

INÍCIO DAS AULAS

Começam as aulas nas escolas públicas estaduais

Secretária da Educação, Milca Severino, abre na segunda-feira (22), no Lyceu, ano letivo de 2007.

SUGESTÃO DE PAUTA

ASSUNTO: Início das aulas nas escolas estaduais
Data: segunda-feira (22)
Horário: 8h
Local: Colégio Lyceu de Goiânia – Rua 21 nº 10, Centro

Os cerca de 800 mil alunos da rede de escolas públicas estaduais retornam às salas de aula nesta segunda-feira (22). Apenas em Ipameri e em Santa Cruz de Goiás, municípios castigados pelas chuvas, as aulas deverão começar em fevereiro. É o início do ano letivo de 2007, que será aberto oficialmente pela secretária de Estado da Educação, Milca Severino, em solenidade, às 8h no Lyceu de Goiânia. Na oportunidade, ela dá início, também, à segunda edição do movimento Cidadania e Paz – Bandeira da Paz, que percorrerá todas as 1.231 escolas da rede ao longo do ano, estimulando o exercício da cidadania e a cultura da paz.

No mesmo dia, às 14h, a secretária Milca Severino visita o Hospital das Clínicas, onde funcionam duas classes hospitalares do Projeto Hoje, desenvolvido pela Secretaria Estadual da Educação. Ela participa da abertura da 6ª Semana de Estudos dos professores que atuam no Projeto Hoje de atendimento educacional hospitalar. Atualmente, o Hoje mantém 53 classes hospitalares, das quais 29 são atendimentos a pacientes nas residências.

Ano letivo – A rede pública estadual possui 1.231 escolas, incluindo as 122 escolas particulares e filantrópicas conveniadas. Em todas essas unidades, o ano de 2007 terá 204 dias letivos, com o término previsto para o dia 21 de dezembro. O mês de julho será todo de férias. Dez feriados nacionais serão observados: Carnaval (20/2), Paixão de Cristo (6/4), Tiradentes (21/4), Dia do Trabalho (1/5), Corpus Christi (7/6), Independência do Brasil (7/9), Nossa Senhora Aparecida (12/10), Finados (2/11), Proclamação da República (15/11) e Natal (25/12).

Para este ano de 2007, a Secretaria da Educação recebeu até hoje, sexta-feira (19), 146.189 pedidos de vagas de alunos novos para as escolas estaduais, por meio do sistema informatizado de matrículas. Desses pedidos, 83.880 foram para o Ensino Fundamental e 41.474 para o Ensino Médio. Outros 20.255 pediram vagas para as turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). O Ensino Especial recebeu 134 pedidos, enquanto a Educação Infantil recebeu 301 solicitações. Foram pedidas ainda 78 vagas para o curso profissional de Enfermagem e 67 para o normal em nível médio. A rede já tinha cerca de 750 mil alunos. Desse total, alguns saem por transferências e outros por terem concluído o 3º ano do Ensino Médio.

Mesmo com o início das aulas, a Central de Atendimento do 0800 645 6556 e a Internet www.matricula.go.gov.br continuarão funcionando diariamente até o dia 31 de janeiro. Depois disso, a rede fará as matrículas diretamente nas escolas. A matrícula é gratuita.

A rede de escolas públicas do estado de Goiás oferece merenda a todos os seus alunos, inclusive para os de Ensino Médio. Desde o ano passado, estão funcionando 32 escolas de tempo integral que oferecem o ensino regular e atividades esportivas, culturais, de lazer e reforço. Para esses estudantes, a escola fornece lanche pela manhã, almoço e lanche à tarde. No decorrer deste ano, a Secretaria irá ampliar o programa das escolas de tempo integral, devendo ter pelo menos uma escola de tempo integral para alunos de 1º ao 5º ano e de 6º ao 9º em cada uma das 38 subsecretarias.

Quem faz a matrícula na rede estadual está entrando num espaço de cidadania. Criado há três anos, o Espaço de Cidadania envolve hoje 405 escolas em todo o estado. Elas desenvolvem atividades nos finais de semana, abrindo as portas para a comunidade. São cursos diversos, jogos e campeonatos, aulas de dança, música, teatro, capoeira e tantas outras oficinas de bordados, bijuterias, tapeçarias, artesanatos e reciclagem. É a integração escola-comunidade em que todos se beneficiam. Além de estudantes bolsistas, o programa conta com a participação de professores voluntários e de pessoas da comunidade que vão à escola ensinar o que melhor sabem fazer.

Movimento Cidadania e Paz – Bandeira da Paz

Uma bandeira branca, com os símbolos do Espaço de Cidadania, de um lado, e do programa Paz é a gente que faz, do outro, será hasteada no Colégio Lyceu, na manhã desta segunda-feira, dando início ao movimento Cidadania e Paz. Desta vez, o movimento será permanente. A bandeira passará de escola em escola até o dia 21 de dezembro, levando às comunidades um apelo: respeito ao patrimônio da escola, seja ao patrimônio humano (alunos, professores, demais servidores e comunidade), seja ao patrimônio físico (edificações e equipamentos da escola).

O objetivo é estimular as escolas a realizar experiências que promovam a conscientização de todos para a necessidade de valorização e preservação do patrimônio. De forma interdisciplinar, a escola deverá tratar as questões de cidadania e da paz durante todo o ano, apresentando ao final os resultados alcançados. Tudo isso, dentro de uma idéia central que é a inclusão social como responsabilidade de todos.

Em cada subsecretaria regional de Educação, uma escola foi escolhida para a reedição do movimento Cidadania e Paz. Em Trindade, por exemplo, a solenidade às 9h, será na Escola Estadual Marcilon Dorneles. Em São Luis de Montes Belos, será no Colégio Estadual Américo Antunes; em Morrinhos, no Colégio Estadual Xavier de Almeida, às 8h30; e em Silvânia, na Escola Estadual Adonias Lemes do Prado. O tempo de permanência da bandeira em cada escola dependerá do número de escolas em cada subsecretaria, sendo que até o final do ano todas as escolas deverão ter sido integradas no movimento Cidadania e Paz.

Projeto Hoje - Goiás fazendo escola em hospitais

O Projeto Hoje de atendimento educacional hospitalar, desenvolvido pela Secretaria Estadual da Educação, é uma referência para o restante do país. Só em 2006, o projeto manteve 53 classes hospitalares, das quais 29 classes de atendimentos domiciliares. Durante todo o ano, foram 24.621 atendimentos pedagógicos feitos pela equipe do Hoje em leitos hospitalares ou a pacientes em recuperação nas suas casas. Dos 2.173 alunos matriculados, 1.168 estavam freqüentando aulas na rede regular de ensino e puderam continuar os estudos enquanto se tratavam. Outros 1.005 não estavam matriculados em nenhuma escola e, desses, uma parte pôde ser alfabetizada durante o tratamento.

No final de 2006, estavam funcionando duas classes no Hospital Araújo Jorge, cinco no Hospital Geral de Goiânia, duas no Hospital de Doenças Tropicais e sete no Hospital das Clínicas. No Hospital Materno Infantil, o atendimento foi feito em duas classes; na Casa de Eurípedes, em uma classe; e no CRER, em duas classes. No CISME, de Itumbiara, também duas classes; além de uma classe na Casa de Apoio São Luiz, uma na Casa de Apoio Caminho da Luz e uma na Casa de Apoio de Quirinópolis.

Só em Goiânia, os atendimentos domiciliares somaram 17, variando de um dia a meses de aula. Outros alunos foram acompanhados nas cidades de Aparecida de Goiânia, Campos Verdes, Morrinhos, Caldas Novas, Trindade, Rio Verde, Silvânia, Palmeiras, Ceres, Mozarlândia, Rubiataba e Piracanjuba. O único requisito para o atendimento é a solicitação que pode ser feita pelo próprio aluno ou pelos familiares e outros responsáveis. Quando um estudante entra em tratamento, tanto a escola, quanto os pais ou o próprio aluno pode pedir o atendimento do Projeto Hoje.

O acompanhamento é feito de modo que o aluno não seja prejudicado ao se ausentar da sala de aula para tratamento. Os professores do Hoje fazem o contato com a escola e recebem as informações sobre conteúdos e as provas, além dos diários para os relatórios finais. Quando a criança ou o jovem recebe alta e retorna à escola, segue o mesmo cronograma que os demais estudantes, porque estudou todo o conteúdo que f

 

Acesso Rápido